Governo detalha participação do DF na mobilização nacional contra o Aedes aegypti

Estarão em campo em Brasília e no Entorno 1,1 mil servidores do Corpo de Bombeiros e 500 de agentes da Vigilância Ambiental, além de 12.550 militares das Forças Armadas

O adjunto operacional do Comando Militar do Planalto, tenente-coronel Peixoto dos Santos, o chefe de Estado Maior do Comando da Aeronáutica VI, coronel Hardt, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do DF, coronel Hamilton Santos, o secretário de Saúde, Fábio Gondim, o comandante do Centro de Instrução e Adestramento de Brasília, capitão Odair, e o subsecretário de Vigilância à Saúde, Tiago Coelho.

O secretário de Saúde do Distrito Federal, Fábio Gondim, detalhou à imprensa nesta sexta-feira (12) a participação do governo de Brasília na mobilização nacional contra o Aedes aegypti marcada para este sábado (13), a partir das 8 horas. "Os militares estarão no DF amanhã para orientar a população e, na próxima semana, com o combate ambiental [retirada de focos], que ainda é uma das formas mais eficientes, já que não deixa o mosquito nascer", afirmou, durante a entrevista coletiva na sede da pasta.

A ação no DF e no Entorno envolverá 18 mil militares das Forças Armadas. Desses, 12.550 vão a campo para passar orientações à comunidade. Os outros 5.450 estarão responsáveis pela logística e pelo administrativo da operação. "A ideia é ampliar as estatísticas de verificação de focos do mosquito", explicou o adjunto-operacional do Comando Militar do Planalto, tenente-coronel do Exército Peixoto dos Santos.

O Corpo de Bombeiros vai atuar com 1,1 mil militares na distribuição de material e na orientação à sociedade sobre como reduzir a proliferação do transmissor da dengue, da zika e da chikungunya. A Diretoria de Vigilância Ambiental, da Saúde, vai contribuir com 500 agentes As ações ocorrerão simultaneamente em todas as regiões administrativas.

De acordo com o secretário Fábio Gondim, a participação do Entorno é importante porque a circulação do vírus ocorre além do território distrital. "O mosquito não respeita fronteiras." As Forças Armadas terão tropas em Anápolis, Cristalina, Formosa, Padre Bernardo, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás.

Fases
No sábado, ocorrerá a segunda das quatro fases da estratégia federal para a redução dos casos de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. A primeira etapa foi a preparação interna dos militares. A terceira será de 15 a 18 de fevereiro, com o combate aos focos do mosquito nas casas. Por último, uma ação educativa envolverá as escolas para orientar os alunos.

Identificação

Na ação de amanhã, os participantes estarão uniformizados e portarão a identidade militar. De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Hamilton Santos Esteves Junior, o morador poderá pedir que o funcionário apresente o documento oficial antes.

Tendas
Para fazer testes rápidos e prestar o atendimento inicial, foi instalada uma unidade de atenção à dengue em Brazlândia na quinta-feira (11). No primeiro dia, foram 111 atendimentos, 102 testes rápidos e 55 casos confirmados.

Até as 11 horas desta sexta-feira, foram feitos 85 testes rápidos. São seis médicos e quatro enfermeiros em atendimento e a quantidade inicial de leitos (10) foi ampliada para 15.
Google Plus

Por Movimento dos Comunicadores do Brasil

Entender Condomínio

0 comentários:

Postar um comentário